domingo, 20 de março de 2016

ACUSILAU


Acusilau de Argos (em grego Ἀκουσίλαος) é um dos mais antigos logógrafos[1]. A primeira menção ao seu nome é da autoria de Platão (O Banquete. 178b), mas acredita-se atualmente que Acusilau tenha vivido entre o final do século VI e a primeira metade do século V a.C. na Argólida ou, talvez, na Beócia. Além do nome de seu pai, Cabas, nada de certo sabemos a seu respeito, pois chegaram até nós apenas curtas e discutíveis notas biográficas

Acusilau, filho de Caba, Argive, um nativo da cidade de Cercade, localizado em Aulis.... Ele escreveu, em particular, das genealogias de placas de bronze, que se diz ter sido encontrada por seu pai, cavando em um lugar de sua casa (DK9A2)

            Dionísio de Halicarnasso, historiador do século I a.C., em seu tratado sobre Tucídides (cap. V) cita doze nomes de historiadores anteriores à Guerra do Peloponeso[2], dos quais nove provinham da Ásia Menor e ilhas vizinhas. Entre eles nomeia-se Cadmo e Hecateu de Mileto, Helânico de Lesbos, Acusilau de Argos e Xanto da Lídia.

Sabino, sofista, viveu sob o reinado de Adriano. Ele escreveu comentários sobre Tucídides, a Acusilau e outros autores, e algumas outras obras exegéticas (DK9A5)
Acusilau escreveu genealogias dos deuses e dos homens em prosa, acompanhadas de curtos relatos míticos, mais no estilo de Hesíodo do que no estilo de Heródoto, pelo que devemos considerá-lo um mitógrafo[3] que organizou sua obra em genealogias, e não um antecessor dos historiadores. Sua única obra conhecida, Genealogias (em grego Γενεαλογίαι) foi escrita no dialeto iônico e dividida em três livros. Dela só restam cerca de 40 fragmentos, conservados notadamente por escoliastas[4] e por outros autores tardios. O mais longo deles (P. Oxy. 13.1611 fr. 1) conta o mito de Ceneu, um dos lápitas[5] mortos pelos centauros. Os demais fragmentos foram editados por Sturtz (Leipzig, 1824) e compilados por Diels (Berlin, 1906), por Jacoby (Leiden, 1957) e por Fowler (Oxford, 2000).


Alguns desejam adicionar aos Sete Sábios Acusilau, filho de Cava de Argos. Hermippus, então, em sua obra sobre os sábios, ele enumera dezessete ...; e são: Sólon, Tales, Pitaco, Bias, Quilon, Misone, Cleobulo, Periandro, Anacarsi, Acusilau, Epimênides, Leofantro, Ferecides, etc. (DK9A1)
Eu acho o Caos de Acusilau como primeiro princípio, tão completamente irreconhecível e depois dele, Erebus o masculino e o feminino Noite... Então, da união destes, diz ele, que nasceram Ar, Eros e Metis... Além destes e derivados destes, também um grande número de outros deuses, de acordo com o guia de Eudemus. Acusilau deriva todos os outros seres do princípio Caos. (DK 9 B 1)
Hesíodo diz que primeiro houve caos [e, em seguida, as terras dos grandes seios, casa todos os seres, sempre seguros] e depois do caos [nascidos] esses dois, as terras e Eros. [Parmênides descreve a geração de Como[6] [7] (DK 28 B 13) concorda com Hesíodo também Acusilau. Assim, muitos concordaram que Eros é o mais antigo dos deuses (DK9B2)
Homero diz que não apenas os sonhos são mensageiros dos deuses, mas também que Hermes é o mensageiro de Zeus, e até da Iris...Acusilau diz que ele é puro mensageiro de todos os deuses. Ferecides de Atenas diz que também é Hermes; (DK9B5)
Acusilau diz que Urano, depois de ter acorrentado a Hecatônquiros, um gigante com uma centena de mãos ... eles afundaram no Tártaro, porque ele sabia que tinha cometido esses atos, a injustiça (DK9B9a)








[1] Logógrafo era aquele que fazia discursos perante os tribunais de Atenas no Período Clássico (de 480 / 338 a.C.)
[2] A guerra do Peloponeso foi um conflito armado entre Atenas e Esparta entre 431 e 404 a.C.
[3] Aquele que escreve acerca dos mitos
[4] Comentarista e exegeta de textos antigos.
[5] Povo da Tessália que vivia perto dos maciços de Pindo e Ossa, que expulsaram os Pelasgos, os antigos habitantes
[6] Como eu disse, ele contou-me que Fedro discursou primeiramente e deu início aproximadamente da maneira que se segue: “Eros é um grande deus, uma maravilha entre seres humanos e deuses, o que se manifesta de múltiplas maneiras, mas, sobretudo, em seu nascimento. (Platão, o Banquete, 178b)
[7] Sustento que ele é o mais jovem dos deuses, além de ser sua juventude perpétua; quanto a esses antigos embaraços em relação aos deuses narrados por Hesíodo e Parmênides... (ibidem. 195 c)
Postar um comentário