segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

De Jacques Demolay à Siemens do Brasil


O "dono das moedas" que, para conseguir agradar ao Rei, conseguindo um ou outro benefício, empresta-lhe "boa soma", financiando a fartura e a opulência da corte, precisa, como o tempo, avolumando-se as quantias empenhadas, atentar para o fato de que, a mão amiga de hoje, que nos socorre no momento de aflição, com o passar do tempo, embora nada faça de diferente, passa a ser temida, fazendo brotar o temor da cobrança, contra a qual se levantam salvaguardas e contra a qual o devedor pega em armas.

Professor Orosco

Postar um comentário