sábado, 9 de janeiro de 2016

ODE ÀS PAIXÕES TARDIAS


      Os anos que acumulei em minha jornada, com o entusiasmo de minha juventude, conduziram-me, depois de um período de encantamento, 
à maturidade alcançada pela experiência.
     Pelos mais belos anos, no vigor da juventude, a educação me mostrava o caminho do conhecimento.
     Meu aprendizado doía em meus ouvidos, pendendo entre a razão e a opinião, compelido para a luz da razão pelo conhecimento, que me afastava da ignorância, abrindo-me os olhos aos novos saberes.
     Aí estava a verdade, aquela que separa os caminhos do conhecimento e da ignorância , escorada em uma sólida construção; a verdade eterna, trancada atrás de uma porta, da qual a Sapiência é a única chave para abrí-la.
    É  na busca desta verdade que se dirige o conhecimento, amparado pela razão, que desnuda o saber.
     Quando ela se mostra de forma altiva, revela a grande distância do caminho a ser percorrido, repleto de armadilhas e aparências.
     Com a educação, ela, a verdade, é a única capaz de conduzir o real aprendizado dos alunos.
     Ao descobrir isso, a sabedoria finalmente me recebeu, amparando minha velhice e sussurrando em meus ouvidos que deixaram de ser moucos.
   -  "Benvindo jovem estudante, que me alcançou através dos anos. 
Beba agora destas minhas águas e refresca teu corpo cansado no rio das paixões maduras. 
São elas as únicas capazes de curar tuas feridas e dar alento ao teu caminhar, conduzindo-te mansamente em seu leito caudaloso para junto daquela com a qual sonhas terminar tua jornada".

Professor Orosco.
Postar um comentário