quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Não Existem Coincidências, é só comparar.


Não Existem Coincidências, é só comparar.

Com a proximidade das eleições municipais, onde o Programa Eleitoral Gratuito divide o espaço de tempo na televisão com as noticias sobre o julgamento do “mensalão”, onde a cúpula do Partido dos Trabalhadores esta “sub judice”, colocando o Supremo Tribunal Federal e seus ministros sob os holofotes da imprensa e despertando o interesse da opinião pública, acho interessante trazer aos amigos uma reflexão escrita no ano de 1.748, a um pouco mais de 260 anos (exatos 264), por Charles-Louis de Secondatt, onde se pode ler:

       Corrompe-se o espírito da democracia não só quando se perde o princípio da igualdade, mas também quando cada qual se apodera do espírito da igualdade ao extremo, pretendendo ser igual àquele que ele escolhe para governá-lo.
...
Quando não se tem mais respeito pelos anciãos, não se respeitará também os pais, e os maridos não merecerão consideração, nem os mestres submissão.
...
Quando era rico, tinha de cortejar os caluniadores, sabendo muito bem que me achava mais em condição de ser prejudicado por eles do que de prejudicá-los; a república exigia-me sempre uma nova quantia, e eu não podia dizer não. Desde que sou pobre, adquiri autoridade; ninguém me ameaça e eu não ameaço aos outros; posso partir ou deixar-me ficar.
Os ricos levantam-se e me cedem o lugar.
Sou um rei, era um escravo; pagava um tributo à república e hoje é ela quem me sustenta. Não tenho mais receio de perder, espero adquirir.
...
O povo cai nessa desgraça quando aqueles em quem confia, querendo ocultar a própria corrupção, procuram corrompê-lo.
Para que o povo não perceba sua ambição, falam da grandeza do povo; para que não se perceba sua avareza, lisonjeiam-lhe sem cessar a do povo.
...
Quanto mais o povo pensa auferir vantagens de sua liberdade, mais se aproximará o momento em que deverá perdê-la.

                    Da corrupção do princípio da democracia
                    Barão de Montesquieu “O Espírito das Leis”

Posso não crer na existência das bruxas, mas que elas existem, existem

Pense nisto ao votar

Professor Orosco
Postar um comentário