segunda-feira, 14 de maio de 2018

EM DEFESA DOS MULATOS


Numa guerra racial, entre brancos e negros, os mulatos seriam os primeiros a tombar, pelo simples fato de estarem mais próximos dos extremos, pelos quais seriam identificados como a outra parte.
Da mesma forma, quando pensamos em esquerda e direita, esquecemos que ambas, para existirem, pressupõem a existência do Rei, que as separam.
O problema, como no caso dos mulatos, é qual tipo de Rei aceitamos.
O soberano de Hobbes, acima da lei, ou o soberano de Rousseau, serviçal do povo.
O povo soberano e participativo ou o povo alegre e alienado (coxinha ou mortadela).
Esta ė a questão.
Quando normalmente apanho pelos meus comentários, sinto-me mais mulato que nunca, pois como professor, não posso reproduzir ideologias, sejam quais forem, mas ajudar a quantos puder a conquistar autonomamente um raciocínio critico e produtivo, que vise o maior bem para o maior número de pessoas.
O princípio maior da Paideia grega.

Professor Orosco.


Postar um comentário