segunda-feira, 23 de junho de 2014

Pensamento Medieval atualizado.

Em momentos de Copa, uma breve mensagem:

Deus, como Sumo Bem, como perfeição, unicamente por Amor, criou algo diferente de si.
Criou o mundo.
Se não fosse diferente de si, seria perfeito, e, portanto, não seria criação, seria sua extensão.
Ao criar o mundo, ao criar algo diferente de si, precisou criar algo imperfeito, algo que continha o mal, mas que, também, por participação, tivesse imbricado no seu ser, o bem, a intuição do perfeito, a intuição de Deus.
Criou o homem, e, ao fazê-lo, num ato de amor, de renúncia, de ágape, um amor que se doa, concedeu-lhe a liberdade.
Uma liberdade para que, na sua evolução, ele pudesse contemplar seus mistérios e para que pudesse experimentar sua glória, praticando este mesmo amor para com seus semelhantes e para com toda a sua criação.
Uma boa semana para todos, e que venham as oitavas de finais.

Professor Orosco.

Postar um comentário