domingo, 30 de junho de 2013

O FUTURO A DEUS PERTENCE

Em uma critica do historicismo como forma de prever o futuro, Karl Popper coloca claramente em seu livro " A Sociedade Aberta e Seus Inimigos "  (tradução de Milton Amado. São Paulo: Ed. USP, 1974, p.17) que :"O futuro depende de nós mesmos, e nós não dependemos de qualquer necessidade histórica", com o que concordo apenas parcialmente.
Embora sejamos livres para escolher o caminho que vamos trilhar, nossas escolhas são pautadas por princípios e por valores que construímos ao longo de nossa vida.
Esses valores, nós os construímos através da interação com outras pessoas, inclusive com suas realizações, e dizer, através da história que vivenciamos com elas.
Da interseção destas vidas combinadas, resulta um comportamento médio, que indica com relativa clareza e com boa probabilidade de acerto, a antecipação prévia, ao menos parcial, das escolhas que serão feitas pela sociedade que se estuda.
Não se trata de futurologia, mas da Análise de Tendências.
Fatos extraordinários; fatos sociais (Emile Durkheim); pontos fora da curva de normalidade, podem alterar substancialmente esta tendência, tornando o futuro incerto, imprevisível, e com isto concordamos plenamente.
No entanto, boa parte destes acontecimentos poderia ser prevista, antecipada,por qualquer sociólogo que atentasse para as demandas sociais reprimidas; por qualquer cientista econômico que observasse as sutilezas do mercado; etc.
A própria história mostra que boa parte destas distorções, em verdade, foram planejadas e demagogicamente escondidas, principalmente pelos "donos das moedas" que, valendo-se do poder econômico, sufocaram ou atrasaram descobertas tecnológicas; induziram pequenos acionistas ao erro; ditaram a moda; fabricaram as guerras e venderam a paz.
Popper foi brilhante na crítica aos filósofos que tentaram prever o fim da história (de Platão a Marx), mas exagerou, ao menos um pouquinho, na imprevisibildade do futuro.
Os enófilos (amantes do vinho) compreendem o que estou tentando dizer.
"O futuro a Deus pertence", mas se ouvirmos atentamente o que diz o nosso coração, poderemos sentir suas palavras e seguir o caminho que ele nos aponta.

Professor Orosco.


Postar um comentário