quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

HISTÓRIAS QUE O POVO CONTA Nº 9

SOBRE A MITOLOGIA

Encerrando esta pequena coletânea de artigos, onde nas oito postagens que antecederam este fechamento, falamos sobre a Mitologia, sobre o estudo dos Mitos, sobre a influência que tiveram no desenvolvimento do pensamento racional e, até, sobre a forma com que continuam a influenciar a mente dos homens na atualidade, cabe-nos, agora, uma pequena explanação sobre a origem dos mitos.
Algumas teorias correlacionam as lendas mitológicas com as Escrituras Sagradas do Cristianismo, onde, por exemplo, Deucalião seria, apenas, outro nome para Noé; Hércules, outro nome para Sansão; Aríon, outro nome Jonas, ou o dragão que guardava as maçãs de ouro como outra representação da serpente que tentou Eva.
Outras teorias correlacionam as lendas mitológicas à História, onde, todos os personagens da mitologia foram, antes, pessoas reais, como no caso de Éolo, rei e deus dos ventos, que pode ter relação com Éolo, soberano de algumas ilhas do mar Tirreno e que ensinou os nativos sobre a utilização das velas dos navios e o modo de conhecer as mudanças climáticas a partir de sinais atmosféricos.
Particularmente, prefiro a correlação estabelecida pela teoria alegórica, onde todos os mitos eram alegóricos e simbólicos, contendo sempre alguma verdade moral, religiosa, filosófica que, com o tempo, passaram a ser compreendidas literalmente.
Assim, Saturno ou Cronos que devorava os próprios filhos, está relacionado com o tempo, cuja propriedade é destruir tudo o que já tenha sido criado; ou a correlação entre Io e a lua, sempre em movimento, vigiada por Argos, o firmamento estrelado.

Extraído da obra de Thomas Bulfinch, O Livro da Mitologia Trad.Luciano Alves Meira. São Paulo: Martin Claret, 2013

Professor Orosco

Postar um comentário